domingo, 22 de maio de 2011

PIAZITO DE CAMPANHA

Escrevi este trabalho Piazito de Campanha na adolescência, "baseado em fatos reais", como se diz. Trata-se de um relato de parte da minha infância, como de tantos piás pobres como eu. Este trabalho virou música, com a Melodia de Jorge Freitas e Valter Fiorenza. A Canção "Piazito de Campanha" foi apresentada na 2ª Tertúlia Nativista, em Santa Maria, na Interpretação de ANTONIO OLESIAK, e atingiu grande sucesso na época. Posto aqui em homenagem aos Parceiros Musicais e ao Cantor ANTONIO OLESIAK, o qual estará em Santiago no dia 03.06 próximo, fazendo um Show Beneficente em prol da nossa APAE de Santiago. Os convites podem ser adquiridos com a Direção da APAE ou diretamente comigo, contatando através do telefone 9971.2726.
Os Convites para Casais custam apenas R$ 30,00 (incluindo dois ingressos, duas refeições e um CD do Artista). Compareçam para ouvir o "Piazito de Campanha" ao vivo.  

PIAZITO DE CAMPANHA
                          Nenito Sarturi

Debruça o piá sobre o leito
Do rio que passa, solito,
Lavando o rosto em suas águas
E depois segue ao tranquito:
Vai-se a cumprir seus encargos,
Tal como o rio, o piazito.

É domingo na fazenda
Tem carreira no povoado,
O piazito pega a cesta
Não pode ficar parado
Rapadura a cinco "pila"
Ele grita entusiasmado.

“Era” boi, “era” boiada,
Passou a semana inteira
Nos domingos tem carreira
E o patrão o dispensou:
Piazito de peito aberto,
Calça curta e pé no chão,
Ele sai de madrugada,
Se enfurna na imensidão.

Mas de tarde, quando o sol
Já se esconde pra dormir,
Num crepúsculo de sonhos,
O piazito, sem sentir,
Volta pra estância sem pressa,
Cesto cheio, sem sorrir.

Como encarar a mãe velha?
Como encarar os piás?
Se eu sou o “home” da casa,
Que vergonha de voltar!
Rapadura a cinco “pila”
O povo não quis comprar.

3 comentários:

  1. Estava lembrando hoje das boas músicas da minha infância e adolescência em Santa Maria, e dentre tantas me surgiu "piazito de campanha". Ou como uma tia minha muito querida me pedia quando eu tocava meu violão: "toca aquela da rapadura cinco pila!" Saudade daquele tempo.
    Além de toda a musicalidade, esta letra é de uma beleza poética ímpar. Parabéns Nenito pelo belo trabalho!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Como esquecer esta canção, Nenito? Volta e meia me pego cantando... Linda! Como posso ter acesso a ela, não seria possivel postá-la no youtube?

    ResponderExcluir
  3. linda essa música... hoje citei ela num comentário no blog Da Arquibancada do Diário de santa maria

    ResponderExcluir